Blog Boa Viagem
03/05/2012

De passagem por Tegucigalpa, a capital de Honduras

Depois de conhecer as minhas primeiras impressões sobre esse país tão pouco explorado pelos brasileiros, conheça um pouco mais sobre a capital de Honduras, a cidade de Tegucigalpa!

Encontre o Post!

Últimos posts

RBBV

Em minha intrépida viagem pela América Central, os objetivos eram únicos - conhecer o máximo das belezas que este continente tem a oferecer com o mínimo de tempo. Estes objetivos me fizeram riscar belos lugares de minha lista de cidades a visitar. E por outro lado também fez com que conhecesse lugares não tão mirabolantes mas sim com muita história pra contar. Um desses destinos inusitádos era Teguci. Vale a pena antes de continuar dar uma lida nas minhas primeiras impressões sobre Honduras!

A capital hondurenha não é tão divulgada e tampouco conhecida dos turistas brasileiros, mas sem sombra de dúvidas merece uma parada obrigatória, caso você deseje conhecer algumas das maravilhas existentes nesse território. E isso pois a localização desta capital é um tanto quanto estratégica para exploradores da América Central em viagens de média a longa duração. No meu caso exclusivo, fiz uma parada de dois dias em Tegucigalpa com objetivos de planejar o meu roteiro até Tikal (extremo norte da Guatemala), mas infelizmente eu até então não tinha conhecimento sobre as incríveis Ruínas de Copán. Essa parada foi fundamental e mudou os planos do meu roteiro centro-americano.

Uma breve visão geral de Tegucigalpa
Uma breve visão geral de Tegucigalpa

Sinceramente não recomendaria a nenhum de vocês ir conhecer exclusivamente esta cidade. Na minha humilde opinião, foi um dos lugares mais dispensáveis de toda a minha viagem (seguida bem de perto por Manágua, na Nicarágua). E isso pois as verdadeiras belezas desse país estão um tanto quanto distantes de sua capital.

Turismo em Honduras é assunto um tanto quanto complexo. O país é de longe o mais violento de toda a América Central, um continente já cansado de ser rotulado por sua fama de nada amigável. Nós temos recentes recordações dos incidentes ocorridos no último ano de 2009, quando o então atual presidente Manuel Zelaya foi deposto e buscou apoio político no Consulado Brasileiro.

Tegucigalpa - capital de Honduras
Tegucigalpa - a capital hondurenha

Com relevo bem acentuado, a cidade cresceu de forma tão desproporcional a ponto de existirem vários bairros literalmente ilhados nos arredores montanhosos da região, dificultando o acesso para turistas e aumentando o sentimento de periculosidade constante ao qual podemos nos encontrar caminhando pelas ruas dessa cidade.

E por mais perigosa que seja, Tegucigalpa é também um pouco de tudo aquilo que conheci nos outros países da América Central - pessoas amigáveis caminham pelas ruas, interagem com os turistas estrangeiros, as comidas sempre com tortillas de acompanhamento, calor intenso (apesar de uma leve onda de frio que me acompanhou na época em que visitei este lugar).

Exemplo do relevo da cidade de Tegucigalpa
Exemplo do relevo da cidade de Tegucigalpa

Para uma capital onde vivem cerca de um milhão de habitantes, Teguci, como é carinhosamente conhecida, não existem tantas opções de passeios ou lugares interessantes para se visitar. Como disse anteriormente, esta é uma cidade para servir de base de apoio para quem deseja ir um pouco mais fundo na experiência centro-americana. Além de levar a fama de país violento, Honduras também é conhecida como o país mais barato para se consumir e viajar neste pequeno (e tão gigantesco) continente. A moeda lempira na época em que viajei (2009) tinha uma média proporcional de 9 para cada real, ou seja, conseguia fazer refeições completas por menos de R$ 3,00 e ainda consegui comprar algumas recordações desse país pela bagatela mínima de cerca de R$ 10,00.

Carros estacionados em uma das ruas da capital de Honduras
Carros estacionados em uma das ruas da capital de Honduras

Fica registrado então que estive em Teguci de passagem rumo ás famosas Ruínas de Copán. Mas há muito mais para se ver e fazer nesse país! Um dos meus maiores pesares por ter feito uma viagem como é justamente pelo motivo de ter cortado lugares fantásticos (que merecem realmente uma visita), para conseguir otimizar o tempo e cumprir com todos os objetivos.

Mas deixo aqui também as minhas recomendações: se for a Honduras, não deixe de conhecer a Ilha de Roatán, muito próxima da cidade hondurenha de La Ceiba. Roatán é gigantesca! Montanhosa e totalmente rodeada por arrecifes de coral, ela é a opção perfeita para aqueles que querem ver o lado caribenho do país da forma mais interessante possível. Vale também uma parada por algumas noites na cidade de La Ceiba, que é famosíssima por suas noites badaladas, suas praias de areias brancas e pelo marzão do Caribe totalmente disponível para os turistas que optam por essa alternativa.

Igreja católica no centro da cidade de Tegucigalpa
Igreja católica no centro da cidade de Tegucigalpa

A outra opção turística que atrai visitantes de todo o planeta até este país é justamente aquela que optei por conhecer: as famosas Ruínas de Copán. Ponto turístico obrigatório uma vez que você está em Honduras, elas são tão famosas e é tamanho motivo de orgulho para os cidadãos deste país, a ponto de ilustrar o verso das notas de 1 lempira. Quando consegui meu primeiro lempira eu sabia que não poderia sair deste país sem conhecer Copán. E assim o fiz e demonstrarei com detalhes para vocês nas próximas matérias sobre Honduras.

Um pouco mais sobre Tegucigalpa
Um pouco mais sobre Tegucigalpa

Meu grande problema era esse (e aliás sempre foi...): meu tempo era pouco para um país inteiro lotado de boas opções para um turismo desbravador. Sem referências sobre a cidade (e também sobre o país) na internet brasileira, encontrei a melhor forma de explorar a cidade - caminhando nas ruas da capital sem destino certo. Conhecendo e conversando com os locais acabei aprendendo que a melhor opção para o curtíssimo prazo de cinco dias seria descansar em Teguci por uma noite, para na noite seguinte continuar a viagem que me levaria até muito próximo da fronteira com a Guatemala, para enfim conseguir conhecer um dos maiores legados deixado pela cultura maya para o mundo moderno. Outra grande dificuldade foi vencer as barreiras impostas pelas distâncias que conectavam os melhores lugares de cada país, e em Honduras não foi diferente.

Relevo montanhoso da capital de Honduras
Relevo montanhoso da capital de Honduras

Um detalhe que fez a complicação aumentar um pouco mais foi justamente o motivo de não existir uma rodoviária na capital deste país (e isso também acontece em vários outros na América Central). Os ônibus que rodam o país inteiro partem do seu próprio escritório de vendas, então para conseguir se locomover em Honduras, primeiro era necessário conhecer a frota que faz o roteiro que você escolhe. Se fosse a La Ceiba, a empresa seria diferente da que iria até próximo de Copán (isso pois até esse destino não existe um ônibus que vai te deixar dentro da cidadela de Copán). Então era necessário desbravar a capital, conversar com os locais, pedir informações, saber exatamente onde ir e acima de tudo - comprar as passagens de ônibus antecipadamente (eles sempre rodam lotados).

Visão geral de Tegucigalpa
Visão geral de Tegucigalpa

Desta cidade levei comigo o aprendizado de que não existem barreiras sociais para aqueles que desejam profundamente conhecer um destino da forma mais alternativa possível. Conversando com os locais conheci o futuro da minha viagem: as Ruinas de Copán, lugar imprevisto em meu roteiro inicial, e que me fez ter uma prévia do que viria pela frente: um mergulho na imensidão deixada pelos vestígios da cultura maya.

Interessou?! Honduras parecer ser mais legal do que noticiam por aí, não é mesmo?! Pois bem, então não deixe de nos acompanhar no twitter do Blog Boa Viagem, ou ainda na nossa comunidade no facebook, para saber primeiro sobre o que vem por aí! Agora se você já visitou ou ainda tem vontade de conhecer esse país tão pouco explorado por nós brasileiros, então gostaríamos muito de ler os seus comentários sobre essa fantástica aventura na América Central! Vai lá, comente aí abaixo! Deixe sua mensagem, ela é essêncial para nossa motivação!

Luiz Jr. Fernandes

Analista de TI, empresário, fotógrafo e viajante.
Perfil do autor no , facebook e twitter.

Veja seu destino aqui Saiba como anunciar

  Se gostou, então é provável que goste também...

-