Dicas para viajar pelas ilhas localizadas no sul da Tailândia

Recentemente voltei de uma viagem que me levou a percorrer várias ilhas paradisíacas no sul da Tailândia. Conheça algumas das dicas valiosas que coloquei em prática para viabilizar este island hopping.

Algumas semanas atrás retornamos de mais uma viagem ao continente Asiático. Desta vez decidimos ficar por cerca de 3 semanas explorando algumas ilhas paradisíacas no extremo sul da Tailândia. Esta foi a minha segunda vez neste país, pelo qual tenho grande apreço, devo confessar que este é um dos melhores países para se explorar com uma mochila nas costas. Povo amigável, gastronômia secular, paisagens espetaculares, praias, trilhas, festas e eventos culturais. Este é sem dúvidas um dos lugares que você precisa conhecer, se ainda não o fez.

Nossa viagem começou na capital: Bangkok, uma das metrópoles mais caóticas do mundo. Descansamos por dois dias para curar o jet-lag , caminhando entre templos e ruas de comércio, explorando restaurantes e casas de massagem nos arredores da cênica Kao San Road e aproveitamos o máximo de tempo para nos ambientar à cultura regional. Foi muito bom estar de volta àquela nação! Dois dias depois da nossa chegada, embarcamos em um voo que partiu do aeroporto Don Mueang com destino à cidade mais ao sul da Tailândia: Hat Yai, já quase na fronteira com a Malásia. Dentro do aeroporto contratamos o serviço de transfer que nos conectou até à cidade portuária de Pak Bara, lugar de onde partem os barcos com destino às ilhas que estão localizadas no extremo sul do país.

Praticando snorkel o dia inteiro em Koh Lipe - Tailândia
Praticando snorkel o dia inteiro em Koh Lipe - Tailândia

Foi interessante perceber que o tempo passa mas que praticamente todas as técnicas de viagens continuam as mesmas, com total planejamento independente, em algumas horas saímos de Bangkok e chegamos à ilha chamada Koh Lipe, considerada por locais e visitantes como as Maldivas Tailandesas. Este foi só o primeiro destino de nossa viagem pelas ilhas remotas localizadas nos cafundós da Tailândia. Desde Koh Lipe foi possível mergulhar nas águas de outras ilhas paradisíacas e foi fácil perceber que esta ainda não era a cereja do bolo.

Desde Koh Lipe é possível ir a qualquer outra ilha no Mar de Andaman, você escolhe: Koh Phi Phi, Koh Lanta, Koh Kradan, Koh Mook, Koh Ngai, Koh Bulone, são tantos Koh's que sinceramente foi preciso mergulhar na internet para tentar entender onde e qual seria o lugar que eu deveria conhecer desta vez.

Explicando os Koh's e o Island Hooping

Cartão de embarque no Speed Boat
Cartão de embarque no Speed Boat

Se você é um leitor assíduo, sabe que já visitamos alguns Koh's tailandeses. Passamos uma temporada em Koh Samui, visitamos Koh Phangan e foi lá em Koh Phi Phi onde eu realizei um (dos vários) mergulhos de batismo. No idioma tailandês, Koh significa "Ilha". A cada vez que volto vejo que não conheço quase nada pois são tantas ilhas, algumas delas sem ninguém morando, que é praticamente impossível visitar todas elas ao longo da vida, então tentamos focar nas principais. São elas: Koh Phi Phi e Koh Tao. Qualquer viajante que já foi até a Tailândia conseguiu conhecer uma delas. Koh Phi Phi está ao sul, no Mar de Andaman, já Koh Tao está bem mais acima no mapa, localizada no interior do Golfo da Tailândia. Ainda não consegui conhecer Koh Tao, é um dos destinos que mais atrai mergulhadores em todo planeta, porém está nos meus planos ;)

Você pode chegar por uma ilha e se locomover entre elas sem precisar passar pelo continente (vai ficar mais difícil se estiver cruzando do Golfo da Tailândia ao Mar de Andaman). Existem slow-ferrys e fast-boats que conectam os destinos criando o perfil de viagem que chamamos de island hopping, ou em franco português do Goiás, um "pinga-pinga pelas ilhas". Existem trechos de ida, ou ida e volta, para qualquer uma das ilhas mais desenvolvidas. No nosso caso, visitamos Koh Lipe, onde ficamos hospedados por uma semana, depois seguimos para Koh Mook por dois dias e depois Koh Phi Phi por mais 6 dias. Os barcos cumprem com um roteiro pré estabelecido, passando assim por todos os destinos que conectam a rota.

Então partindo de Koh Lipe para Koh Phi Phi, o viajante que está praticando o island hopping faria o seguinte trajeto: Koh Lipe -> Koh Bulone -> Koh Kradan -> Koh Mook -> Koh Ngai -> Koh Lanta, para por fim baldear para uma nova embarcação que o levaria até a ilha do filme "A Praia", a belíssima Koh Phi Phi. O mesmo roteiro pode ser feito na direção contrária, chegando por Krabi ou Phuket e voltando por Hat Yai. Agora já pensou prezado(a) leitor(a), você, com a pessoa amada, em uma ilha que mal consegue pronunciar o nome, de águas límpidas, locais amigáveis, comida espetacular, mergulho paradisíaco, praias lindíssimas!? Eu poderia ficar escrevendo só adjetivos, mas vai por mim, também tem o lado "menos bom"...

Quanto tempo ficar em cada ilha

Mergulhando em Koh Adang, ilha próxima a Koh Lipe
Mergulhando em Koh Adang, ilha próxima a Koh Lipe

Para mensurar a quantidade ideal de dias a investir em cada uma das ilhas, é preciso ter conhecimento do tempo total da viagem, visto que as horas parecem escoar facilmente das nossas vidas enquanto estamos a desfrutar de lugares tão incríveis quanto estes. Gostei da possibilidade de flexibilizar o tempo em cada lugar no começo da viagem. Poderíamos ter apertado o passo um pouco mais e conhecido um número maior de destinos, porém acredito que para uma viagem de 20 a 30 dias é possível deixar em média uns 4 a 5 dias para conhecer de 3 a 4 ilhas. No meu caso reservei mais tempo para o primeiro destino pois era uma viagem de férias para descansar, não queria ficar na correria de fazer e refazer minha bagagem a todo momento, não queria apenas passar pelas ilhas (queria supostamente ter o tempo de viver mais experiências!)

Em qualquer island hopping é preciso considerar que o dia do deslocamento pode acabar ficando perdido, visto que é preciso mudar todo ambiente da viagem, fazer malas, usar o transporte público e por fim chegar ao destino, fazer checkin no novo hotel para depois passar à fase de reconhecimento da nova ilha. A minha recomendação aqui é clara: tente ter foco em sua viagem para não perder tempo se deslocando demais, escolha a dedo os destinos que deseja conhecer e maximize o tempo colhendo novas experiências.

Quanto custa uma viagem dessas!?

Koh Phi Phi na Tailândia
Tem preço uma vista como essa? Já pensou se mandando pra dentro desse mar?

Vamos falar de valores?! Pois bem! Assim como em qualquer lugar do mundo, o deslocamento náutico tende a ser um pouco mais oneroso do que qualquer outro meio de locomoção. Nós chegamos em Koh Lipe e compramos o ticket para Koh Mook. Pagamos cerca de 35U$ por pessoa no fast-boat (que se desloca com maior velocidade que o slow ferry). Em Koh Mook, encontramos um lugar para comprar o ticket que nos levaria até Koh Phi Phi, pagamos cerca de U$ 33,00 por pessoa. Em Koh Phi Phi compramos o ferry para Krabi, de onde partiu nosso voo de volta até Bangkok. Desde Hat Yai, até Koh Phi Phi gastamos mais ou menos uns U$ 100 dólares, convertendo-se para R$ 320,00 por pessoa (com o dólar variando entre 3,12 e 3,20). Bem barato não é mesmo?! Eu acho que é uma grande barbada para conseguir visitar lugares tão paradisíacos.

Quanto mais ilhas mais gastos. Para cada deslocamento um valorzinho a mais é cobrado. Então se você quiser ir de Lipe a Phi Phi sem escalas, vai pagar mais barato do que alguém que toparia passar em cada uma das ilhas no caminho. Meu sonho particular? Voltar lá e gastar uns 5 dias para cada ilha (Lipe, Bulone, Kradan, Ngai, Mook, Lanta, Phi Phi e Phuket (ou Krabi) essas são as principais). Contudo há ainda outras várias ilhas no caminho que também podem ser exploradas por outros meios, tal como Koh Libong, Koh Sukon, Koh Adang e Koh Tarutao (onde está o Tarutao National Park). É preciso uma vida inteira para conhecer tantas ilhas né não?! Mas cada uma tem seu charme, particularidades e atividades distintas oferecidas aos turistas que optam por conhecê-las ainda melhor.

E quanto à hospedagem, é caro?!

Resort em Koh Mook, no Sul da Tailândia
Resort em Koh Mook, no Sul da Tailândia

Esta é uma pergunta que depende muito do potencial financeiro de cada viajante. O que eu posso afirmar é que existem lugares para todos os tipos de bolsos. Em Koh Lipe era um pouco mais difícil encontrar algo com preço mais em conta, como viajamos em plena alta temporada, acabamos sofrendo um pouco para encontrar um lugar que fosse interessante pelo custo e benefício. Pagamos cerca de 100 R$ pelas diárias em um quarto privativo de casal com banheiro e ventilador. Se quisesse ar condicionado eu teria que pagar mais 50 R$. Para quem ficaria por um ou dois dias até que tudo bem né?! Mas ficar uma semana e pagar 350 reais a mais na hospedagem apenas pelo conforto noturno do ar, para mim parecia desperdício de dinheiro.

Quanto menos turística, mais acessível, esta é a regra básica. Os preços são impactados diretamente pelas temporadas do ano, porém conseguimos encontrar hospedagens pro casal por 100 reais a diária em praticamente todas as ilhas. Para encontrar custos mais acessíveis ainda bastaria optar por hostels com quartos compartilhados - encontrei lugares por meros 10 dólares a diária.

Para quem pode investir um pouco mais, encontrará hospedagens de altíssimo nível por custos irrisórios. Vários resorts praticam a média de R$ 350 a 500,00 reais pelas diárias, incluindo café da manhã. Na foto anterior você pode contemplar o visual paradisíaco da ilha de Koh Mook e um dos seus resorts de nível mais elevado, a diária girava entre 90 e 100 dólares nesta oportunidade.

A comida era boa?! E quanto era por refeição?

Peixe assado na brasa, com arroz branco e salada de vegetais em Koh Lipe
Peixe assado na brasa, com arroz branco e salada de vegetais em Koh Lipe

Como regra de base, se podemos encontrar hospedagens para vários bolsos, da mesma forma é com a alimentação. Sem dúvidas este é um dos pontos altos em qualquer viagem na Tailândia! Come-se muito bem por custos irrisórios! Ficamos impressionados pela qualidade dos frutos do mar e de praticamente todas as refeições que realizamos, tudo era muito fresco, saboroso e extremamente econômico.

Comemos algumas vezes nos resorts mais próximos das praias, sempre com preços muito parecidos com os lugares mais baratos, às vezes era pouco mais caro, entretanto o que valia a pena pela localização e estrutura que sempre costumava ser um pouco melhor. Fizemos várias refeições completas a menos de R$ 30,00 por pessoa. Eu sou muito fã de pad-thai, fried-rice e frutos do mar! Salivo só de sentir o cheiro do curry, não consigo resistir a um peixe fresco preparado na hora (seja frito ou assado na churrasqueira). Encontramos esses e vários outros tipos de pratos que seriam comuns à nossa culinária por preços de fazer dar gargalhada (em média uma refeição simples não passava de 5 dólares). É um roteiro mais do que recomendado para quem ama comida oriental, contudo os carnívoros vão sentir falta de um pedaço suculento de bife de vaca ;)

Dá pra tomar cerveja nessas ilhas também?!

Desfrutando a vida na Sunset Beach, tomando uma cerveja local
Desfrutando a vida na Sunset Beach, tomando uma cerveja local

Que perguntinha marota essa hein Luiz Jr?! Se dá pra tomar cerveja na Tailândia?! Álcool é mais do que liberado em todas as ilhas, o custo de uma cerveja em garrafa no supermercado às vezes era bem parecido com o preço brasileiro, entre 6 e 8 reais por uma garrafa de 600 ml. Nós comprávamos cervejas em distribuidoras de bebidas, colocávamos em uma sacola térmica com muito gelo e íamos curtir nosso dia. Quando "levantávamos o acampamento", recolhíamos o lixo e depositávamos no lugar indicado.

Visual paradisíaco, praias de águas límpidas, culinária deliciosa, econômica e custos interessantes para hospedagem. O que mais você precisa para começar a planejar o seu island hopping pela Tailândia?! Nos próximos posts vamos compartilhar várias dicas sobre Lipe, Mook e Phi Phi, não deixe de acompanhar ;)

Luiz Jr. Fernandes
Autor

Luiz Jr. Fernandes

Analista de TI, empresário, fotógrafo e viajante.
Perfil do autor no , facebook e twitter.

Veja nossas últimas matérias
Clique para ver mais matérias