Deslocamento esperto na Tailândia - alugue sua própria moto!

Na Ásia a sua melhor opção para fugir do trânsito caótico e do péssimo serviço de transporte público pode ser exatamente isso - alugar uma motoquinha ao estilo scooter e sair explorando os lugares paradisíacos existentes em solo tailandês.

Quando cheguei na Ásia, logo em minhas primeiras impressões comecei a acreditar que realmente eu iria utilizar uma velha artimanha que os viajantes neste continente praticam com frequência - o aluguel de uma motocicleta. Eram tantas espalhadas no meio do caótico trânsito das ruas de Bangkok, e elas se davam tão bem ao conseguir burlar todo o tráfego das avenidas movimentadíssimas desta metrópole, que naquele momento já comecei a me conscientizar: seria melhor alugar a minha própria moto para conhecer os lugares maires do que ficar sofrendo no péssimo transporte público coletivo tailandês. E não deu outra! Cheguei em Samui e ainda no cais já estava em busca de uma motoquinha!

Utilizando-se dos padrões asiáticos tudo fica muito simples - em Samui alugamos três motos para cinco pessoas (as três que você vê na foto anterior). O custo?! Nada que meros cinco dólares por dia não poderiam resolver com tranquilidade! O risco?! seria levar um tombo e estragar a moto, ou ainda pior - machucar e ter que ir parar no hospital, ou muito pior que isso - ter a motoquinha roubada (ou perdida!, vai lendo!). Agora e quanto aos benefícios?! pois bem, estes eu tenho que defender com unhas e dentes, afinal de contas, se não fossem por eles o título deste post com certeza seria diferente.

Visitantes são recepcionados por motoboys em Koh Samui
Visitantes são recepcionados por motoboys em Koh Samui

Definitivamente a grande vantagem é a agilidade ganha. Você não precisa esperar horas em um ponto de ônibus, não precisa pagar horrores para taxistas corruptos, que podem não entender onde você quer ficar e acabar te deixando em um lugar totalmente contrário do que você solicitou, mas o melhor de tudo - você vai poder mandar todos os motoristas de tuk tuk irem te procurar na próxima esquina (sim, eu odeio tuk tuks)!

E grandes são as vantagens obtidas com o deslocamento - podíamos sair a noite, nos perder e nos encontrar pelas ruas de Koh Samui, e a sensação de liberdade acabava se tornando um pouco mais intensa.

Esta foi uma alternativa que no princípio me soou um pouco perigosa, mas que logo no primeiro momento já conseguiu me certificar que o custo x benefício valeria a pena, e muito!

Permanecemos por 3 noites e 4 dias com as motocicletas. Elas são como as honda-biz brasileiras, algumas automáticas, outras você é quem passa as marchas, mas no fim, todas elas não passam dos 80km por hora, o que já seria uma loucura em um país como a Tailândia.

O grande problema encontrado foi realmente o medo de ser roubado ou estacionar a moto em um lugar e esquecer onde ela estava, e acreditem neste blogueiro que vos escreve - isso é fácil fácil de acontecer neste país, você pode até comprovar isso na foto logo a seguir, tirada em uma rua movimentada em Koh Samui por volta das 8 da noite - são milhares de motos (algumas idênticas) estacionadas lado a lado por quilômetros nas principais ruas desta ilha, sendo assim, é fácil esquecer onde você estacionou, ou ainda pior, ser roubado e sequer saber o que fazer para resolver a situação.

Rua movimentada em Koh Samui
Rua movimentada em Koh Samui

E por experiência própria - perder uma moto alugada não é nada agradável! Principalmente em um lugar tão caótico quanto é esse centrinho de Samui! Fiquei por horas perambulando de um lado para o outro tentando encontrar a condução (isso já lá pelas altas da madrugada). A dica de ouro é a seguinte - alugou uma moto? Use pontos estratégicos de referência para estacioná-la e faça uma marca para que você conheça a sua moto - eu amarrava uma fita verde e amarela para tentar encontra-la com mais facilidade. Fiz a experiência de aluguel de motos na Ásia apenas na Ilha de Samui, mas posso recomendar que você também realize algo assim em outros lugares da Tailândia! Já nos outros países, a melhor alternativa com base no custo x benefício foi locar um carro pequeno - fiz isso em Bali por uma semana e não me aventurei mais com locações no sudeste asiático, pois iria para lugares realmente muito caóticos, tais como Hanói, Ho Chi Minh City e posteriormente para o caos em forma de cidade - Phnom Penh, a capital do Camboja! Legal falar sobre Sudeste Asiático não é mesmo?! Pois podem acompanhar que em breve você encontrará muito mais informações sobre esse continente aqui no Blog Boa Viagem.

Veja nossas últimas matérias
Clique para ver mais matérias